Skip to content

Missa de sétimo dia: Uma tradição cristã brasileira

A missa de sétimo dia é uma homenagem e despedida para o ente querido e também um momento para orações pelo acolhimento de sua alma no céu e por um descanso eterno. Esta celebração também tem outro significado e representa uma tradição deixada pelo período colonial. O Terra Santa explicará as origens desta tradição católica no Brasil. 

O que a missa de sétimo dia significa? 

No catolicismo, a missa de sétimo dia representa o fim de uma obra de vida na Terra, mas o começo de uma vida em Deus. As orações para quem parte começaram essencialmente pela ideia da existência do que a igreja chama de purgatório, o local em que as almas passam um período para se redimir de seus pecados antes de chegar ao céu. Os vivos rezam para que os mortos recebam seu perdão divino e alcancem o paraíso. 

Apesar de ser algo comum para fiéis católicos, o significado da missa de sétimo dia tem um profundo significado.  

Por que 7 dias? 

Em sete dias, Deus concluiu a sua criação e descansou. Por isso, o número 7 significa a perfeição de Deus e também que no sétimo dia, aqueles que passam pela morte, encontram o seu descanso em Deus após concluíram a obra da vida. Além disso, este numeral representa a purificação. 

Além dessa passagem, há outras presenças do número sete nas histórias bíblicas. Veja algumas: 

  • A passagem sobre o sacrifício purificador que deve ser realizado nos sete dias em Êxodos; 
  • Jesus multiplicou sete pães; 
  • A mulher grávida e o nascimento do seu bebê no sétimo dia para a purificação 
  • Os sete banhos para purificar o leproso. 

Como e quando surgiu a missa de sétimo dia? 

Durante o período colonial, era difícil para familiares e amigos chegarem a tempo de se despedirem presencialmente do falecido. Diferente de hoje, a extensão do território brasileiro era um grande desafio diante das opções de transporte daquela época.  

Além disso, o clima do país não colaborava com a conservação do falecido por muito tempo. O calor podia provocar um grande mal cheiro e era impossível aguardar que todos chegassem para o sepultamento. Então, várias pessoas perdiam a chance de se despedirem. 

Para o conforto dos familiares e amigos, a missa de sétimo dia surgiu como uma ideia de conforto para os vivos e homenagem a quem se foi. Assim, todos teriam uma segunda chance para homenagear e se despedir do ente querido.  

Esta é a origem da missa de sétimo dia, uma tradição tipicamente brasileira herdada do período colonial e mantida nos dias de hoje. Em nenhum outro país existe essa celebração no catolicismo.  

Missa de sétimo dia nas religiões cristãs 

Além dos católicos, outras religiões cristãs também consideram a missa de sétimo dia, como o espiritismo. Entretanto, os protestantes não aceitam a prática dessa celebração porque acreditam que o destino da alma é imutável a partir do fim da vida, ou seja, não há como alterar, já está definido.  

Gostou da explicação? Compartilhe com a gente o que você descobriu com esse texto. Além dos rituais católicos, existem várias tradições para se despedir de quem já se foi. Que tal ler o nosso texto sobre rituais fúnebres das religiões pelo mundo?