Pular para o conteúdo

Conheça alguns dos rituais fúnebres das religiões pelo mundo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Embora o Brasil seja um país laico, a maioria da população se identifica com os ensinamentos do catolicismo. No entanto, os profissionais da área devem estar preparados para agir com respeito em qualquer caso. Afinal, cada religião tem sua particularidade. 
 
Visando ajudar você a aprender mais sobre os rituais fúnebres de algumas religiões do mundo, o Terra Santa Cemitério Parque preparou um artigo especial, com alguns costumes e crenças. Confira: 
 

Judaísmo 

A crença considerada como religião, filosofia e modo de vida prega a existência de um único Deus. 
 
A base do Judaísmo é obedecer aos mandamentos estabelecidos nos livros sagrados, pois para eles, isso é como fazer a vontade de Deus e mostrar respeito e amor pelo criador. Os livros sagrados do Judaísmo não mencionam a vida após a morte, mas após o exílio na Babilônia, os judeus absorveram essa ideia. 
 

Em rituais fúnebres no Judaísmo o corpo costuma ser preparado para o sepultamento por três pessoas treinadas que nada tiveram a ver com o falecido. Elas lavam o corpo com um pano e água morna e dão uma atenção especial a limpeza das unhas. Cobrindo o rosto e os genitais do desencarnado, os preparadores, ou Shamashins, se desculpam por estar incomodando o falecido e começam a fazer orações por todas as partes do corpo, a fim de purificá-lo. 

Após a purificação do corpo, é de costume que coloquem uma mortalha de algodão ou linho sobre o corpo e pedras em seus olhos e em sua boca, para que o falecido não discuta sua morte com Deus ou o veja antes do julgamento final. 

Uma curiosidade interessante sobre os rituais fúnebres do Judaísmo, é que os fiéis acreditam que leva algum tempo até que a alma se desligue por completo do corpo e esse processo deve seguir a decomposição natural do corpo. Por isso, no Judaísmo não é permitido a cremação em nenhuma circunstância.  
 

Cristianismo 

Apesar de existir diferentes ramificações dentro do Cristianismo, podemos dizer que os fiéis acreditam na existência de Deus, o criador do universo; Jesus Cristo, que é o elemento central da religião e considerado o redentor da humanidade; e na vida após a morte. 
 
No Cristianismo, se o velório não for realizado no próprio cemitério, poderá haver uma procissão até lá, a fim de homenagear a pessoa que se foi. Geralmente, alguns familiares e amigos acompanham o caixão, enquanto outros cantam e rezam. 
 
Um líder religioso conduz o funeral, ora, expressa condolências à família e fala sobre o que a morte significa para o Cristianismo. A oferenda de flores também é um dos elementos da cerimônia que ganham destaque. Nessa religião, apesar da cremação ser amplamente aceita, o sepultamento ainda é a principal escolha entre os fiéis.  
 

Budismo 

O Budismo é uma doutrina filosófica e espiritual, que tem como preceito a busca pelo fim do sofrimento humano e assim, alcançar a iluminação. 
 
Portanto, os budistas não adoram Deuses e não possuem uma hierarquia religiosa rígida. Comparado com o monoteísmo ocidental, o budismo se trata de uma busca pessoal. 

Porém, nos rituais fúnebres é normal que ofereçam comida aos deuses como um sinal de desapego. A cremação é mais usual dentro do Budismo, mas quando optam pelo sepultamento, o caixão não será impresso com uma cruz durante o funeral. 

Também é tradição que as crianças estejam presentes nas cerimônias fúnebres, assim poderão se adaptar com mais facilidade à ideia da morte. 
 

Hinduísmo 

O hinduísmo é considerado uma filosofia religiosa que abrange as tradições culturais, valores e crenças adquiridas através de diferentes grupos étnicos. Após adaptação constante, até atingir o nível conhecido hoje em dia. 
 
Por isso, os deuses (que podem chegar a milhões) fazem parte do cotidiano dos fiéis. Mesmo que haja templos, os cultos geralmente são realizados em casa, onde há altares para os deuses favoritos da família. 

Nesse sistema de crenças, os dogmas da religião não são rígidos, por isso pode ser incorporada a várias tradições. Mas, se tratando dos rituais fúnebres, com exceção dos líderes, a maioria dos hinduístas são cremados.  

Geralmente, o corpo é colocado no crematório em uma maca. Se o falecido for o chefe da família, seu filho mais velho será o responsável pela tocha. Já as mulheres, só podem participar da cremação se estiverem calmas, uma vez que chorar durante a cerimônia não é algo aceitável. 
 

Islamismo 

Como o judaísmo e o cristianismo, o islamismo é uma religião monoteísta, o que significa que os muçulmanos acreditam que existe apenas um Deus, que os fiéis chamam de Allah. Para eles o luto é um momento de oração, calma, equilíbrio e discrição. 
 
Por respeito ao falecido, o enterro no islamismo deve ser realizado o mais rápido possível. O preparo do falecido consiste em três banhos: um para tirar a impureza, o segundo é canforado (com ervas) e o último com água pura. É normal colocarem uma mortalha aberta nos pés e na cabeça do desencarnado e, ao fechar a tumba, versos do Alcorão são recitados. 

Candomblé 

O Candomblé é uma religião africana, que se originou em meados do século XVI. 

Trazida para o Brasil por africanos escravizados, essa religião possui uma grande diversidade de culturas, ricos ensinamentos e cultua diversas divindades, os Orixás. Geralmente, os fiéis expressam sua adoração por meio de danças, canções e oferendas que desempenham um papel importante na natureza. 

 
No Brasil, o Candomblé passou por algumas mudanças e é considerada uma religião afro-brasileira que não tem a morte como objetivo final. Eles acreditam que a morte é a continuação de um ciclo. 

Quando uma pessoa iniciada no Candomblé morre, é realizado um ritual pós-morte, o chamado Axexê, que tem como principal objetivo liberar o Orixá protetor do corpo daquela pessoa. 

A preparação de liberação do espírito, geralmente, é feita na casa de um pai ou mãe do santo, um lugar considerado sagrado pra os fiéis e que somente as pessoas religiosas sabem. 

Somente após a cerimônia de desligamento, eles são autorizados a começar o velório, onde começam a entoar canções que convidavam os ancestrais a aceitar o novo Egum (espírito) e a louvam todos os espíritos. 

Por fim, o Ará (corpo) pode ser enterrado. Mas, em um ano após o falecimento, será realizada uma nova cerimônia, que se repetirá após três anos e novamente, depois de sete anos. 

Segundo os líderes religiosos, o Candomblé possui princípios, filosofias, doutrinas e ensinamentos e aqueles que vivem uma vida sem dignidade, ou seja, fora dos princípios religiosos do Candomblé, perdem o direito de realizar rituais fúnebres. 

 Umbanda 

A Umbanda é uma religião monoteísta e afro-brasileira que se baseia em três conceitos fundamentais: luz, caridade e amor. A palavra “umbanda” pertence ao vocabulário quimbundo de Angola, que significa “a arte de curar”. 

Essa religião está intimamente ligada à vida em doutrinação, ou seja, que tipo de comportamento devemos ter ao encarnar, de modo a garantir uma boa posição no reino espiritual quando for chegada a hora da partida. 
 

Para a umbanda, a morte física não é o fim da vida. Só é entendida como o fim de um ciclo, a passagem da encarnação. Após a morte física, o desencarnado será guiado ao reino espiritual referente ao seu comportamento e as suas vibrações emocionais acumuladas. 
 

O ritual fúnebre na umbanda é dividido em duas partes: primeiro a purificação do corpo e do espírito e só depois o velório e o sepultamento. 

Ainda no necrotério, antes mesmo de preparar ou vestir o corpo, o sacerdote da umbanda faz a purificação do corpo utilizando um incenso e água consagrada e, em seguida, faz uma cruz na testa, garganta, peito, plexo, umbigo e nas costas das mãos e pés com a pemba consagrada e com óleo de oliva consagrado. Por fim, deve respingar todo o corpo com essências e óleos aromáticos, visando a proteção do espírito.  
 
Por fim, o corpo deverá ser vestido e preparado para o velório, onde será realizada uma cerimônia de encomenda de espírito.  
 
Este ritual não deve ser relacionado à tristeza, mas sim à alegria, já que o espírito está retornando ao plano eterno e, se estiver pronto, poderá retomar conscientemente sua evolução. 
 

Espiritismo 

O Espiritismo é uma doutrina científica e filosófica, estabelecida no século XIX. Busca a combinação entre fé, razão e caridade, levando a uma nova experiência religiosa marcada pela vivência, investigação e aprendizagem. 
 
Para os seguidores do espiritismo, a morte não existe. A mente usa o corpo como uma ferramenta para se aprimorar. Segundo eles, “o corpo é a roupa e a reencarnação é a evolução do espírito”. 

Assim como outros fiéis de religiões distintas, os espíritas também velam e enterram os mortos. Ao decorrer dos velórios, eles costumam orar e tentam ao máximo manter o equilíbrio, pois acreditam que a alma do ser desencarnado pode continuar rondando o plano terreno por mais algum tempo até voltar ao chamado “Nosso Lar”. 

Gostou de saber como funcionam os rituais fúnebres nas diversas religiões? Então deixe nos comentários qual você achou mais interessante e confira outros artigos do Terra Santa

Um lugar de tranquilidade e paz para o descanso de quem você ama.

Relacionados

Precisa de ajuda?