Pular para o conteúdo

Tudo o que você precisa saber para organizar um funeral

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O momento da perda de um familiar ou amigo querido é sempre difícil. Os sentimentos de tristeza, dor e saudade estão presentes e são divididos com o restante da família.  

Após a confirmação do óbito, além da parte emocional, os parentes mais próximos necessitam organizar um funeral ou um velório.  

Para quem nunca vivenciou essa situação delicada, saiba que existem decisões importantes a tomar, como homenagens, documentos e escolha pelo sepultamento. 

Pensar nesse momento imprevisível é difícil, mas o planejamento traz conforto e tranquilidade a quem fica.  

Por isso, preparamos este guia para te ajudar a organizar um funeral e esclarecer as suas dúvidas. Boa leitura!  

A importância de organizar um funeral

A princípio, pode parecer que a organização do velório não seja a prioridade em meio ao falecimento de alguém.  

Com a dor e a afiliação que sentimos, não é nada fácil pensar nas burocracias e escolhas importantes em um curto período de tempo.  

Porém o processo do funeral é importante para que a família não tenha problemas durante ou após o sepultamento. Além disso, existem algumas etapas previstas em lei.  

A documentação por exemplo, caso esteja errada, pode atrasar a liberação do corpo e gerar ainda mais angústia ou até mesmo pendências futuras com relação ao inventário.  

Ainda assim, o funeral representa, na sua essência, uma homenagem à pessoa amada que se foi. Para a família, torna-se um momento de demostrar afeto e saudade ao falecido.  

É muito importante respeitar os desejos do ente querido quanto ao momento de passagem, como a preferência por cremação.  

O passo a passo para organizar um funeral  

Vamos iniciar, então, a nossa conversa sobre o processo de organizar um velório.  

Após a confirmação do falecimento e a liberação do corpo, existem algumas etapas desde a documentação até às homenagens. 

Continue a leitura conosco. 

Respeite o desejo de quem faleceu

Reconhecer os pedidos e preferências da pessoa que partiu é um gesto de cuidado e respeito.  

Por isso, o primeiro passo para organizar um funeral é saber se existe alguma recomendação ou algum pedido feito em vida sobre o destino do corpo.  

Sabemos que conversar sobre os ciclos de vida e o momento da morte pode ser difícil ou até mesmo um tabu.  

Mas, se você perceber que é um processo natural, lidar com ele torna-se menos doloroso, e as decisões difíceis do momento falecimento são poupadas.  

Prepare o corpo  

A preparação do corpo, chamada de tanatopraxia, é necessária apenas quando existe a possibilidade de um longo deslocamento, seja terrestre, seja aéreo. 

Nesses casos, é provável que o sepultamento ultrapasse o tempo comum de 24 horas.  

Porém, independente da situação, essa preparação é de responsabilidade do médico legista e dos próprios familiares.  

Separe os documentos

Com relação aos documentos exigidos para a realização do funeral, o primeiro é o Atestado ou a Declaração de Óbito.  

Questões como tipo de óbito, data, horário e identidade do falecido são informações que constam nesse tipo de documento. 

Após o sepultamento ou a cremação, é importante que os familiares providenciem, em até 15 dias a Certidão de Óbito.   

No caso de locais distantes de 30 km do cartório, o prazo é estendido em até 3 meses. 

Não se esqueça de que, se a morte tiver acontecido por motivos violentos ou acidentes, o corpo é encaminhado ao Instituto Médico Legal e passa por uma perícia legal. 

Com o Atestado de Óbito em mãos, o Guia de Sepultamento deve ser providenciado. Este Guia é o último passo em relação aos documentos para que a pessoa possa ser sepultada de acordo com a lei.  

Nesse último documento, são registradas as informações sobre o falecido e a escolha da família pelo sepultamento ou pela cremação. 

Escolha uma funerária

Como conversamos, lidar com tantos sentimentos pela perda do ente querido e ter ainda que administrar as burocracias são grandes desafios.  

Por esse motivo, ter a assistência de uma funerária representa conforto e tranquilidade a você e sua família. Afinal, a empresa será responsável por agilizar toda a burocracia do processo para organizar o velório.   

Questões como, preparação do corpo, emissão de documentos, local da cerimônia do velório e ornamentação são organizados e facilitados pela funerária, que apenas confirmará alguns detalhes com você.  

Escolha entre sepultamento ou cremação   

Sabemos que algumas pessoas desejam ser cremadas, outras optam pelo sepultamento – isso, claro, se tiverem manifestado ainda em vida.  

Como conversamos, respeitar o desejo do falecido é um gesto de carinho e empatia.  

Ainda assim, o momento de escolher entre o sepultamento ou a cremação pode ser ainda mais confuso e doloroso. 

A razão para isso é que muitas famílias não sabem ao certo o que é um jazigo ou o próprio sepultamento, por exemplo.  

Em alguns casos, a família já tem um jazigo perpétuo; em outros, existe a possibilidade de cemitérios públicos.  

Esses fatores são decisivos para definir o local, escolher o cemitério e organizar o velório com um todo.  

A segurança das pessoas presentes, infraestrutura de alimentação, descanso e conforto e proximidade com o próprio local do sepultamento são pontos a serem considerados também.  

Avise os entes queridos do falecido

Reunir as pessoas queridas no dia do falecimento é muito importante, porque traz apoio e acolhimento para os familiares mais próximos. 

Amigos e pessoas mais distantes também têm o direito de saber sobre a cerimônia.  

Portanto, não deixe de avisar sobre o velório antecipadamente. Mencione a data, o local e o horário de início da cerimônia e o horário previsto para o enterro. 

Prepare uma homenagem especial

Por fim e, talvez o mais importante, a despedida final representa a homenagem ao falecido. Este momento é uma das formas mais bonitas de se despedir de alguém.  

Discursos, homenagens musicais, canto de pássaro, as possibilidades são muitas de cerimônias e gestos! Converse com a sua família e também com a funerária para combinar os detalhes.  

Por que você deve optar por um plano funerário?  

No texto de hoje, você percebeu que são muitos os processos necessários para organizar um funeral ou um velório. Eles se tornam desgastantes no momento de perda.  

Por isso, ter a assistência de um plano funerário faz toda a diferença. 

Em primeiro lugar, a equipe poderá te dar assistência burocrática necessária. Em segundo, não podemos esquecer do fator financeiro.  

Todos os processos que citamos ao longo do texto têm custos. E infelizmente nem sempre são baixos.  

Pela falta de planejamento, as famílias costumam não estar preparadas para gerenciar os gastos.  

Nesse contexto, os planos funerários com mensalidades acessíveis são uma excelente solução. Eles representam segurança, tranquilidade e planejamento!  

Ter consciência de que a vida é transitória garante serenidade para quem fica e prestação de homenagens àqueles que vão.  

Esperamos que o nosso guia sobre organização de um funeral tenha ajudado você!  

Continue navegando pelo nosso blog e conheça os benefícios de jazigo perpétuo de uso futuro. 

Um lugar de tranquilidade e paz para o descanso de quem você ama.

Relacionados

Precisa de ajuda?